Silvio Santos recebe elenco de Carrossel no “Não Erre a Letra” neste domingo

Neste domingo, 1 de julho, Silvio Santos recebe parte do elenco da novela Carrossel em seu programa. Maisa SilvaJean PauloLarissa ManoelaStefany VazLucas Santos e Nicholas Torres participam do jogo “Não Erre a Letra“.

Crianças do Carrossel participam do quadro “Não Erra a Letra” (Foto: Roberto Nemanis/SBT)

Eles encarnam os personagens, ValériaCiriloMaria JoaquinaCarmenPaulo e Jaime, respectivamente. O apresentador se divertiu com as crianças e falou sobre o sucesso da novela.

E ainda: Jogo dos Pontinhos e Câmeras Escondidas


PROGRAMA SILVIO SANTOS
Neste domingo, às 19h45

Zezé Di Camargo e Luciano e Christiane Torloni estarão neste Domingão!

Os intérpretes de Valéria e Janete, do ‘Zorra’, Rodrigo Santana e Thalita Carauta também agitam o programa com muito bom humor

Zezé Di Camargo e Luciano com Christiane Torloni (Foto: Domingão do Faustão / TV Globo)Zezé Di Camargo e Luciano com Christiane Torloni (Foto: Domingão do Faustão / TV Globo)

O Domingão desta semana está imperdível! No palco, Zezé Di Camargo e Luciano cantam seus sucessos e conversam com Faustão sobre os últimos acontecimentos na carreira da dupla. Vai ser imperdível!

Quem também vai dar o ar da sua graça no programa é a exuberante Christiane Torloni, que dá vida à Tereza Cristina de Fina Estampa.

Para fazer o seu Domingão divertido, os intérpretes de Valéria e Janete do Zorra Total, Rodrigo Santana e Thalita Carauta irão fazer toda a família dar risada. Esses dois são feras!

No quadro De Olho Nele, Caçulinha mostra o gaúcho João Vitor, mais conhecido como Faustinho no colégio. Morador de Cachoeirinha, o menino canta desde os sete anos de idade e vai se apresentar no palco do Domingão.

As videocassetadas mais animadas da televisão brasileira pra você não descolar do sofá!

Fique ligado: a partir deste domingo o Domingão do Faustão será em duas partes. A primeira começa às 15h40 e a segunda, às 19h. Não perca a hora!

Maisa aparece pela primeira vez na TV com o novo visual

Como nas outras oportunidades, o especial infantil do “Feriadão SBT” reservou uma surpresa aos telespectadores. Nesta quarta (2), a ex-apresentadora do especial mostrou seu visual novo.

A pequena Maisa abandonou seu visual à la Shirley Temple e mostrou o cabelo agora alisado. Confira a participação dela no especial:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=2Wvd7b4Rw6Q&feature=player_embedded]

A mudança de visual, assim como a saída dela dos programas infantis, se devem à novela “Carrossel”, com estreia prevista para o ano que vem, onde interpretará a personagem Valéria.

Professora Helena grava com seus alunos primeiras cenas de Carrossel

As gravações da versão brasileira de Carrossel já começaram e a atriz Rosanne Mulholland, que viverá a Professora Helena, já gravou com seus alunos. Entre os pequenos está Maisa Silva, que aparece com novo visual.

A apresentadora será Valéria, personagem conhecida por seus óculos e que é a namoradinha de Davi, que na nova versão será vivido por Guilherme Seta.


Professora Helena e seus alunos em Carrossel (Foto: Lourival Ribeiro/SBT)

CARROSSEL
Estreia em 2012

Ator que faz travesti Valéria no “Zorra Total” diz que sucesso é assustador

A travesti Valéria e sua amiga Janete estão roubando as gargalhadas do público no sábado à noite. A dupla interpretada respectivamente pelos atores Rodrigo Sant’Anna, 30, e Thalita Carauta, 28, faz sucesso com apenas dois meses no “Zorra Total”, da Globo.

No quadro, as amigas estão sempre no metrô: Valéria falando de sua vida e aconselhando a ingênua Janete. Apesar de serem novidade na televisão, elas já pegam o metrô juntas há algum tempo: eram um esquete apresentado pela dupla na comédia “Os Suburbanos”.

“Resolvemos levar a Valéria e Janete para o Shermann [diretor do 'Zorra Total'], mas ele não falou nada. Duas semanas depois ele resolveu montar. Só que foi um ‘boom’ na internet e acabou ficando”, conta Thalita, lembrando que o quadro tem grande repercussão também na rede.

A popularidade das personagens surpreendeu os atores, que se conhecem há onze anos e já fizeram outros papéis no “Zorra”.

“A gente fica se perguntando qual a razão [do sucesso]. Pois assim como a Clarete e o Denílson [personagens anteriores da dupla], eles também são suburbanos, que tem uma levada de humor, mas a gente não sabe o que fez com que Valéria e Janete agradassem tanto”, diz Thalita, em entrevista ao F5.

Rodrigo conta que nas ruas o público pede para que ele diga seu bordão: “Como eu tô bandida”.

“É até um pouco constrangedor porque as pessoas já me olham e gritam ‘Valéria!’ E elas pedem para eu falar o bordão. É assustador. Não tenho nem palavras.”

Tímida no quadro e na vida real, Thalita disse que as pessoas também incorporam os personagens na hora do assédio.

“É uma loucura. As pessoas já veem o personagem. E eu, como sou muito tímida, acho muito engraçado, porque as pessoas vêm incorporando a personagem.”

Renato Rocha Miranda/Divulgação/TV Globo

A dupla Valéria e Janete no metrô do "Zorra Total"

A dupla Valéria e Janete no metrô do “Zorra Total”

CHUVEIRO ELÉTRICO

Frases emblemáticas como “Minha nossa senhora do chuveiro elétrico, dai-me resistência” ou “Recolhe suas palmas que não é meu aniversário” foram inspiradas no dia-a-dia deles, que, como seus personagens, nasceram no subúrbio carioca.

“Minha inspiração é a vida, porque sou do subúrbio e comecei a observar que as pessoas de lá são muito sinceras, tem uma espontaneidade. Eu tentei incorporar essa realidade aos meus personagens, vários travestis, vários cafajestes, caso do Ademir [outro personagem de Sant'Anna].”

Quanto à voz fina e o jeito leso de Janete, Thalita disse que surgiu como contraponto ao jeito expansivo de Valéria.

“Valéria é uma figura espontânea, que fala, grita e que não tem vergonha nenhuma. Janete surgiu para fazer o contraponto, com um jeito mais ingênuo.”

Ao ser perguntado se pensa em largar a comédia e ir para as novelas, como foi o caso da atriz Maria Clara Gueiros (a Bibi de “Insensanto Coração”), Sant’Anna disse que prefere não pensar nisso ainda.

“A gente tem que compreender que tudo isso é efêmero e algum momento isso pode passar, por isso que eu falo que meu sonho é sempre continuar trabalhar como ator.”

F5 – Folha.com

Travesti Valéria, de Rodrigo Sant’Anna, rouba a cena no Zorra Total

O humorista fala a O Fuxico sobre o sucesso da personagem que conquistou o Brasil

Travesti Valéria, de Rodrigo Sant'Anna, rouba a cena no Zorra Total - Divulgação/TV Globo

Todo comediante passa apelo mesmo “drama”. Pode estar em qualquer lugar, em qualquer situação. Ao ser reconhecido, tem que fazer uma graça. Ou ao menos é algo assim que espera quem o aborda. No caso de Rodrigo Sant’ Anna, não é incômodo algum. Mas algumas vezes, ele confessa, fica constrangido ao ser chamado de Valéria Bandida – aquele travesti hilário do trem do metrô do humorístico Zorra Total, da Globo - nas ruas.

Aos 30 anos, o ator carioca se consagra com os personagens Edmilson e Valéria, ambos no ar no Zorra Total. Embora tenha participado por quatro anos da Turma do Didi, somente agora, no Zorra, Rodrigo ganhou maior repercussão. A travesti Valéria, ao lado de Janete, vivida por Thalita Carauta, tem garantido média de 25 pontos no quadro de abertura do humorístico global. Logo em seguida, no mesmo programa, ele aparece como Admilson, personagem que revitalizou o quadro de Lady Kate (Katiúscia Kanoro). 

Com formação teatral, Rodrigo viu suas peças lotarem salas de teatro da noite para o dia, após o sucesso na tevê:

“Fazia apresentações uma vez por semana, agora chego a fazer seis num final de semana”, comemora o ator, que há algum tempo se apresenta no teatro com o espetáculo Comício e Gargalhada.

Pelas ruas do Brasil, já se ouve as tiradas da cabeleireira Valéria Bandida, que vira o olho todo e solta frases como: “hoje eu tô virada no Samurai”, “Ai, como eu tô maléfica!”, “Ai, minha nossa senhora dio chuveiro elétrico, dai-me resistência.” ou “não faz a Janete, não faz a lesa.”

O Fuxico entrevistou esse talentoso artista para saber um pouco mais dele. Confira!

O Fuxico: Você atuou por um bom tempo na Turma do Didi, mas só agora o grande público te abraça. Como se sente?

Rodrigo Sant’Anna: Foram quatro ótimos anos na Turma. Aprendi muito quando trabalhei com o Renato, foi uma segunda escola para mim. É difícil resumir em palavras, o Zorra é exibido em um horário diferente, de visibilidade maior. É uma questão prática e objetiva da quantidade de pessoas que assitem. Até mesmo no Zorra, comecei com o Admilson, que também é sucesso, agora veio a Valéria, um personagem que caiu rápido no gosto do público. Só tenho a agradecer.

OF: A presença do Admilson e da Crarete (Thalita Carauta) deu um gás no quadro da Lady Kate…

RS: O Admilson fala o que vem na cabeça e desmistifica a alta sociedade. Na verdade, todas as pessoas têm um lado suburbano, de querer falar alto, colocar salgadinhos na bolsa em festas de aniversário para levar para casa e rir alto no lugar que não deveria. O quadro da Lady Kate já fazia sucesso, mas tenho consciência de que quando entrei deu uma alavancada”.

OF: Sua origem é o teatro e você concilia os dois trabalhos. Como tem sido a repercussão?

RS: Estou em cartaz com o monólogo Comício e Gargalhada, que é dirigido pela Thalita Carauta. As apresentações tem lotado, chego a fazer até seis por final de semana. A peça é uma comemoração aos meus dez anos de carreira e faço uma sátira aos comícios eleitorais. Lá estão o Admilson, a favelada Adelaide, o sensitivo Vanderley das Almas, a cantora de axé Menininha Sara, o Frango de Padaria, entre outros.

OF: Como conheceu a Thalita?

RS: Fizemos uma peça juntos, há uns 11 anos, não teve repercussão. Mas mantivemos a amizade e continuamos trabalhando. Até que fizemos o espetáculo Suburbanos, que ficou quase seis anos em cartaz.

OF: Como você começou a atuar?

RS: Comecei há 10 anos, sou formado em Artes Cênicas pela escola Casa das Arte de Laranjeiras (CAL), no Rio. Sempre fui tímido e com o teatro melhorei. Fazia esquetes no metrô do Rio de Janeiro e com o dinheiro que ganhava, pagava o curso de teatro.

OF: Como surgiram o Admilson e a Valéria?

RS: Os dois são personagens do espetáculo Suburbanos. Para o Zorra, teve mudança apenas externa. No teatro a gente mostrava mais o rosto e na tevê, uso peruca. O Maurício Sherman, no final de 2010, foi ao teatro assistir a peça e me convidou para participar do Zorra.

OF: Quem são seus ídolos na comédia?

RS: Renato Aragão e Chico Anysio.

OF: Como está o assédio com esse sucesso meteóro?

RS: Mantenho a minha vida normal, na verdade, continuo indo à rua da Alfândega (popular centro de comércio no Rio) para comprar peruca. O que mudou é que as pessoas agora me chamam de Valéria Bandida e, às vezes, fico até constrangido. Outro dia levei minha mãe ao Projac e ela queria porque queria que eu cumprimentasse o Jorge Fernando, porque ele era diretor.

OF: Quais são seus planos daqui pra frente, pretende continuar no Zorra?

RS: O que eu quero é continuar trabalhando, seja com novela, humor. A carreira é difícil, é difícil se manter…

Assista o vídeo do quadro da Valéria Bandida!

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=ouBGzxi4B_M&feature=player_embedded]

Ofuxico