Em parceria com a Fox, Record prepara série com mistura de Datena e Marcelo Rezende

marcelo e datena

A Record e a Fox vão produzir uma série cujo protagonista será uma mistura de Marcelo Rezende com José Luiz Datena e Wagner Montes. Intitulada “Na Mira do Crime”, a produção, escrita por Tiago Santiago, irá mostrar os bastidores de um telejornal policial e os dramas pessoais do protagonista, um ‘super-herói’ que mostra sequestros ao vivo e em rede nacional, é respeitado por políticos e bandidos, mas que tem sua filha raptada por criminosos.

A série marca a volta dos textos do autor à tela da Record, onde escreveu seus maiores sucessos. Porém Santiago foi contratado pela Fox.

Planeja-se a estreia da série logo após a Copa do Mundo. Contará com 5 episódios de uma hora cada e será exibida primeiramente pela Fox e depois na Record.

Os canais contrataram a Casablanca para a produção.

Informações do colunista Daniel Castro.

Rodolfo, da dupla com ET, e Marcelo Rezende são atrações do “Domingo Show” Programa vai ao ar no próximo domingo (6)

18mar2014---o-apresentador-geraldo-luiz-do-domingo-da-gente-chega-para-evento-de-apresentacao-da-programacao-2014-da-record-em-sao-paulo-1395158045059_750x500 - Cópia

Visando manter o bom desempenho alcançado em suas duas primeiras edições, o “Domingo Show”, apresentado por Geraldo Luís, vai apostar em um dos principais nomes do jornalismo da Record atualmente: Marcelo Rezende, âncora do “Cidade Alerta”. Ele participará do quadro “Roleta da Morte”, respondendo a diversas questões polêmicas.

Além disso, Geraldo Luís também levará ao ar uma reportagem especial com o humorista Rodolfo da dupla Rodolfo e ET, em que será exibido um vídeo nunca divulgado antes da morte de ET, em que o comediante deixou uma mensagem.

No palco do “Domingo Show” também estarão presentes a dupla sertaneja Fernando e Sorocaba e ainda tem mais um episódio da série “O Anão Vai Ser Papai”. Desta vez, será a hora de descobrir qual é o sexo do bebê que Juliana, a mulher do anão Marquinhos, está gestando.

Com informações do portal “R7″.

Da podridão, às regalias, você vai conferir um retrato do sistema prisional. É neste domingo (29)!

Divulgação/Rede Record

Presos que comem entre baratas. Presos que têm até ar condicionado nas celas. Presos que são encarcerados injustamente e cumprem pena no lugar do verdadeiro criminoso. Presos que tem regalías inconcebíveis para um sistema prisional, como o acesso a prostitutas dentro das celas. No Repórter Record desta semana, Marcelo Rezende investiga a realidade dos presídios brasileiros. Enquanto muitos sofrem em condições subumanas, outros vivem como se estivessem em uma colônia de férias.

Você vai conhecer o presídio conhecido como “Paraíso das Baratas”. Fica em Teresina, no Piauí. E não é por menos. Os insetos tomaram conta da cozinha e do refeitório. A contaminação chegou a tal ponto que os presos são obrigados a comer em sacos plásticos. E nem os funcionários escapam. São obrigados também a comer com as mãos. O que explica esse estado de abandono? Como se chegou a essa situação? Quais são as explicações das autoridades?

Já no Recife, em Pernambuco, o maior presídio do Brasil é conhecido como o “Presídio das Regalias”. Imagine essa rotina: na hora do banho de sol, os presos vão para o telhado. Na hora do calor, eles contam com ar condicionado. E na hora da fome? Bom, daí eles podem contar com a lanchonete que tem dentro do presídio, com direito a hamburguer, churrasquinho, cigarro… Caminhões chegam a estacionar no local para descarregar cargas como água de côco. Não bastasse as regalias, os detentos ainda têm direito a cometer mais crimes. A ponto de ser descoberto um esquema de prostituição dentro das celas. E envolvendo menores de idade! Mostramos o flagrante da detenção de mulheres, investigamos como funciona essa rede de prostituição e saímos atrás das famílias para saber o que elas pensam de tudo isso e o que fazem a respeito para evitar esse absurdo.

E ainda: os presos que cumprem pena no lugar do verdadeiro criminoso. Em Minas Gerais, um homem ficou encarcerado durante seis anos, acusado de ser o maníaco sexual que agiu por 20 anos na região de Belo Horizonte. Só que uma vítima reconheceu o verdadeiro maníaco e o inocente foi libertado. Mas imagine essa situação: ficar seis anos preso, por um crime que você não cometeu. Em outro caso, a história do pedreiro que ficou mais de um ano preso, no lugar de um ex-amigo que falsificou a identidade com o nome dele, para cometer crimes. Como fica agora a vida desse trabalhador, pai de três filhos, que mesmo depois de libertado não consegue mais emprego por causa do antecedente criminal?

Veja com Marcelo Rezende, neste domingo, no Repórter Record, logo depois do Domingo Espetacular.

A vida dos menores infratores da Fundação Casa

O drama dos menores infratores. Nesta semana, no Repórter Record, Marcelo Rezende investiga como é a rotina dos adolescentes que se envolveram com o crime e hoje cumprem medidas sócio-educativas como internos da Fundação Casa, a antiga Febem. Como eles vivem sem a liberdade das ruas? E as famílias, o que passam diariamente? A angústia nas filas de espera, as revistas, a dor de mães, pais e irmãos, a ansiedade de quem está do lado de dentro. O que eles conversam? Quais planos alimentam? Como é a rotina até o próximo encontro?

O sonho de quase toda criança brasileira: se tornar jogador de futebol. Pois um dos internos da Fundação Casa chegou bem perto dessa conquista. Ele passou no teste para jogar em um time de São Paulo. Só que o crime falou mais alto e o garoto chutou a oportunidade para bem longe. Preso em flagrante, acabou recolhido. Agora imagine se esse jovem tivesse uma nova chance. Qual seria o comportamento dele? Como ele se sairia em novo teste? E se esse teste fosse no Santos de Neymar e Ganso? Foi o que a produção do Repórter Record negociou com o clube paulista. Imagine quanta emoção para esse garoto. O que a vida reserva para ele?

Registramos o último dia de um adolescente como interno da Fundação. E acompanhamos o momento em que a mãe vai visitar o filho pela última vez, depois do cumprimento de oito meses de medida sócio-educativa. Flagrado aos quinze anos traficando drogas, ele agora sonha com um destino melhor para a própria vida. Um reencontro emocionante. Nas mãos, ele carrega apenas as cartas que trocou com a mãe durante os meses em que ficou recolhido.

Você ainda vai conhecer a história de um dos internos mais novos. Com apenas 14 anos, ele foi detido por envolvimento com o tráfico de drogas. Por trás, uma história comum entre menores infratores. Nunca conheceu o pai. A mãe é viciada em crack e sobrevive catando lixo. E com nove irmãos, teve quem foi executado por traficantes. Os garotos foram praticamente criados por vizinhos e viviam nas ruas, bem longe da escola. Com uma realidade dessas, o menino também não resistiu às drogas. A primeira foi com apenas 5 anos. Não demorou para conhecer o crack. Como é a rotina de um garoto desses, hoje interno? O que ele sonha? O que a sociedade pode esperar dele?

Essas e muitas outras histórias emocionantes envolvendo internos da Fundação Casa de São Paulo, você vai ver neste domingo, com Marcelo Rezende, no Repórter Record.

Marcelo Rezende investiga mortes que tem em comum as características de execução

Divulgação/Rede Record

Cinco “Mcs” assassinados no litoral paulista. Nenhum suspeito preso. “MC” na linguagem do rap é o “mestre de cerimônias”, o cantor que puxa as rimas durante os shows. Para os familiares das vítimas, todos foram vítimas de um grupo de extermínio que age na região de Santos. NoRepórter Record desta semana, Marcelo Rezende investiga mortes que tem em comum as características de execução. E em todos os casos, os familiares acusam que os baleados foram executados pelos grupo de extermínio “ninjas da baixada”.

Você vai conhecer a história de pessoas que sobreviveram às execuções. Como o pai de três filhos que foi atingido nas costas e hoje está preso a uma cama, paraplégico. Ele vive na casa da mãe, ajudado pela mulher que pediu demissão do emprego para cuidar do marido. Em outro caso, um jovem foi morto quando entrou na linha dos tiros para tentar proteger crianças que brincavam na rua. Fomos até a casa onde ele vivia, para saber como a família toca a vida após essa tragédia.

Você ainda vai conhecer o trabalho das “mães de maio”, familiares de vítimas dos ataques de maio de 2006, quando São Paulo foi sitiada por atentados a delegacias, bases da PM e até ônibus do transporte público. Neste domingo, no Repórter Record, logo depois do Domingo Espetacular.

Repórter Record investiga o crescente envolvimento de mulheres com o tráfico de drogas‏

Na noite do próximo domingo, dia 01/07, às 23h15, o jornalístico da Record apresentado por Marcelo Rezende revela o envolvimento de jovens garotas que são iludidas pelo dinheiro rápido e pela sensação de poder que chega junto com a venda de drogas. A equipe do Repórter Record mostra quem são essas mulheres que ganham espaço na criminalidade e também nas penitenciárias de todo o Brasil.

Os números demonstram bem o que acontece nas ruas: em dez anos, o número de mulheres presas triplicou. Hoje são mais de 34 mil em todo o país, metade por envolvimento com o narcotráfico. E a maioria com idades entre 18 e 24 anos.

O jornalístico revela o trabalho de uma das maiores operações antidrogas do Brasil, que empregou até helicóptero nas perseguições. E o alvo principal da polícia eram as mulheres dos traficantes. A reportagem destaca como elas se transformaram nas chefes dos pontos de venda de cocaína, crack, maconha e até ecstasy. Segundo a própria polícia, verdadeiras empresas que se especializaram em oferecer aos clientes os “produtos” mais desejados.

O Repórter Record apresenta ainda a triste história da mãe que abandonou três filhos para fazer uma única coisa na vida: fumar crack. Ela fica o dia inteiro ao lado do traficante, apontando novos clientes, na esperança de ganhar mais pedras para fumar. Quando presa, ela confessa ao policial: “faço tudo pra fumar uma pedra, senhor”. Não bastassem os filhos abandonados, ela ainda está grávida de sete meses. O caso dessa moça comoveu o responsável por uma clínica de tratamento para viciados em drogas. Os repórteres da Record acompanharam todos os momentos desse drama. Da prisão da dependente, ao tratamento na clínica e o reencontro com os filhos. Um drama humano e um alerta para a sociedade.

O Repórter Record vai ao ar neste domingo logo após o “Domingo Espetacular”.

Repórter Record revela bastidores da prisão de um ladrão de banco conhecido

Repórter Record

O Repórter Record volta ao ar neste domingo (6) com uma investigação exclusiva. Marcelo Rezende revela os bastidores da prisão de um dos mais conhecidos ladrões de banco de São Paulo, foragido há mais de três anos. Integrante da facção criminosa que atua nos presídios do Estado, ele tem uma ficha corrida de mais de cinco metros.

Num depoimento inédito, vítimas do maior assalto a bancos que se tem notícia no Brasil falam ao Repórter Record sobre o dia em que souberam do roubo de suas jóias.

E ainda. As equipes do programa acompanham a operação que desmontou uma quadrilha especializada em sequestrar familiares de bancários. E no interior de São Paulo, o flagrante da venda ilegal de diamantes a céu aberto.

O Repórter Record vai ao ar às 23 horas, logo após o Domingo Espetacular.

Neste domingo (31), conheça histórias de pessoas que chegaram ao extremo para resolver uma situação grave

Getty Images

Qual o limite do corpo humano? Até onde vão a coragem e o sangue frio? Do que somos capazes numa situação de emergência? No Repórter Record deste domingo (31), Marcelo Rezende conta histórias de pessoas que chegaram ao extremo para resolver uma situação grave.

Uma mordida de 200 quilos. Quase o dobro da potência de um soco do campeão de boxe, Mike Tyson. E nem assim, ela teve medo. Você vai conhecer a dona de casa que se atirou na frente de um cão feroz, para salvar a sobrinha de nove anos. De onde veio tamanha coragem? Será que ela teve noção do que estava fazendo? A criança sobreviveu. Mas o episódio teve um fim trágico. A salvadora corajosa teve uma perna amputada. E o cão só parou de morder quando foi morto a tiros.

Um descuido e um susto que ela nunca mais vai esquecer. No caminho de casa, um filho cai na água. A mãe, que não sabe nadar, nem pensa: se atira para salvar o rebento. Os dois quase morrem afogados. Mas acabam salvos, por pedestres que passavam bem na hora. O que explica esse comportamento? Como alguém pode encarar uma missão suicida? Amor de mãe? Falta de noção do perigo?

Dona Braulina, uma senhora de 70 anos. Idade suficiente para ter noção dos limites do corpo e da idade. E na hora do incêndio em casa? Pois saiba que a Dona Braulina forçou a grade da janela e encontrou uma saída. Foi o que salvou os que já estavam quase condenados. A casa virou cinza. A família sobreviveu.

O drama do vício em drogas. A tragédia do crack. Como alguém pode chegar a tal ponto de descontrole, que acaba acorrentado pela própria família? Mais ainda, pelos próprios pais. Uma história triste de um jovem que foi um estudante de direito brilhante e que hoje é um farrapo humano. Como evitar um destino desses? Será que a corrente é o único meio de liberdade? Você seria capaz de prender o próprio filho para salvá-lo das drogas?

A mulher que vivia como um patinho feio e que acabou virando miss. Como ela conseguiu? De onde veio a força de vontade, capaz de transformar uma rotina de vergonha em uma realidade de orgulho? Qual a receita para transformar o próprio corpo?

Essas e outras histórias você vai ver neste domingo, no Repórter Record, logo após o Domingo Espetacular.

Repórter Record mostra como é contratado um pistoleiro de aluguel

A história do pistoleiro mais procurado do Espírito Santo: ele matou duas mulheres a tiros. Todos no rosto. Uma chegou a ser atingida nove vezes. Como pode? De onde vem tanta violência? Como alguém pode ser tão frio e desumano? No Repórter Record deste domingo, Marcelo Rezende mostra como é contratado um pistoleiro de aluguel.

Você vai acompanhar todos os detalhes da operação do Grupo Especial da Polícia do Espírito Santo, para capturar esse bandido. Uma campana que entrou noite adentro e que você vai ver como foi o desenrolar. Você sabia que o Espírito Santo é o estado onde mais mulheres morrem assassinadas? Por que isso acontece? O que explica as estatísticas alarmantes?

Você também vai ver de perto a operação em que os policiais rodam 400 quilômetros na caçada a um procurado pela Justiça. Do Espírito Santo, ele foi preso na Bahia, durante uma noite de farra. Apontado como o assassino de um empresário, o pistoleiro teria recebido R$ 37 mil pelo “serviço”. E segundo a polícia, uma bandidagem que vem de berço.
O pai também é um velho conhecido da lei. Você vai acompanhar todos os passos da operação e os detalhes da investigação da morte encomendada.

E ainda: abordagens de rotina feitas pela polícia, que acabam levando à captura de bandidos procurados. Numa delas, são ladrões de motocicletas. Só no Espírito Santo, a média é de oito motos roubadas por dia. Em outras “batidas”, a polícia identifica traficantes de drogas. Muitos deles, menores. E em quase todos os casos, o envolvimento de meninas de até 12 anos. Crianças a serviço do narcotráfico.

Não perca neste domingo (24), com Marcelo Rezende, no Repórter Record.